Notícias

Sistema de Terra armada

28 de março de 2019
http://infraestruturaurbana17.pini.com.br/

O sistema de terra armada, também chamado de solo armado, é composto por um maciço contido por placas pré-moldadas de concreto, que funcionam como face da contenção. A pressão do sistema é distribuída em tiras metálicas, presas às placas. Essas tiras, colocadas dentro do solo na medida em que este é compactado durante a execução, resistem aos esforços por conta do atrito desenvolvido no maciço. Os principais componentes do sistema de terra armada - o solo, as tiras metálicas e o paramento externo formado pelas placas pré-moldadas de concreto - têm suas propriedades normatizadas pela NBR 9.286, da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). A solução é usada principalmente em obras rodoviárias e ferroviárias. Veja como funciona a contenção e como ela é executada.

 

i368654.jpg

Normas e medição
A ABNT NBR 9.286 dita as especificações para o sistema de contenção com terra armada. As fitas metálicas devem atender aos critérios para aço CA-50 da NBR 7.480 (Aço Destinado à Construção Civil) e da NBR 6.152 quanto à tração. Já a compactação das diversas camadas deve seguir a NBR 7.182 (Solo - Ensaio de Compactação). A Secretaria de Serviços Públicos da Prefeitura de Recife mede os serviços de confecção das escamas e da soleira de concreto armado por metro cúbico de concreto aplicado. A montagem das escamas é medida por metro quadrado de muro montado. O fornecimento de elementos construtivos especiais (armaduras, ligações, chumbadores, juntas e parafusos) é medido por metro quadrado de muro. Já o solo armado será medido em metro quadrado de faixas de alturas verticais.

 

[1] Aterro 
O solo que vai formar a terra armada, também chamado de volume armado, é formado por camadas sucessivas e compactadas. Esse maciço, depois de consolidado, deverá ter no mínimo um ângulo de atrito interno de 25°. Quanto ao material de composição, a NBR 9.286 recomenda que sejam usados solos naturais ou de origem industrial, e que não devem conter terra vegetal ou detritos domésticos.

 

[2] Armaduras 
As armaduras são peças lineares (tiras ou fitas), normalmente de aço galvanizado e nervuradas, que trabalham em atrito com o solo do aterro. São presas às placas de concreto por meio de parafusos e são responsáveis por grande parte da resistência interna à tração do maciço. Devem ter boa resistência e durabilidade, pouca deformabilidade, bom coeficiente de atrito e flexibilidade. Além de aço, as fitas também podem ser poliméricas, com superfícies rugosas, constituídas por fibras de poliéster de alta tenacidade. Nesse caso, o material para formação do aterro deve ser mais grosso.

 

[3] Placas pré-moldadas 
As placas pré-moldadas, chamadas de escamas, formam o acabamento externo do maciço e são responsáveis pelo equilíbrio das tensões da periferia próxima ao paramento externo. Podem ser de concreto armado ou não, e têm sua geometria bem definida - normalmente em formato cruciforme.

 

[4] Içamento das escamas 
As escamas pré-fabricadas são instaladas para formar uma superfície vertical. São içadas com o auxílio de caminhões tipo "munck", tratores ou guindastes. A primeira linha de placas é, normalmente, montada sobre uma base de concreto (soleira) que cumpre a função de elemento de fundação para o paramento externo. A soleira deve estar apoiada em material resistente como solo compactado ou solo-cimento. A colocação das escamas é feita em linhas horizontais sucessivas, ao mesmo tempo em que o aterro é executado acompanhando a elevação das escamas. A montagem é garantida por encaixes e pinos presentes nas placas.

 

[5] Instalação das tiras metálicas 
As tiras metálicas são colocadas perpendicularmente ao paramento, fixadas com parafusos nos elementos próprios das escamas. As tiras são aterradas e o solo é compactado com rolo compactador, evitandose danificar ou deslocar a posição original das tiras ou das escamas. Próximo ao paramento, é recomendável que a compactação seja executada por meio de placas vibratórias, mais leves. Recomenda-se, ainda, que o grau de compactação para a execução do aterro seja no mínimo de 95% da densidade aparente seca máxima.

 

22310175_694797797376457_670561369535041

Gostou? Deixe seu comentário abaixo. 

Obrigado!

Comente essa publicação